Opel Insignia testado pelo Guga

Fui conhecer o Opel Insignia no stand onde comprei o meu Corsa.

Deixo aqui a minha opinião sobre o carro, com os pormenores que merecem mais destaque.

Estética, Interior e Qualidade

Uma única palavra: Bonito! 
Ao entrar no stand, todos os modelos Opel parecem com 10 anos em cima. É um automóvel cheio de estilo, elegante, com pormenores estéticos fantásticos e distintivos tanto da gama Opel como da concorrência.

Ao nível do interior, mantém-se a sensação de luxo e requinte. Há inumeros botões mas a sua compreensão é intuitiva, principalmente para quem já possui um Opel. O tablier tem um aspecto muito hi-tech quando não possui aplicações em madeira e os estofos são em pele preta. 

A versão disponível para test-drive era o Cosmo 2.0 CDTI de 160cv que contava com os Estofos em pele e Sistema de Navegação, itens que a partir da próxima terça feira são um extra de 2500 € (aprox.). O Sistema de Navegação podia ser mais evoluído. Tem um software pouco atractivo e parece ser importando directaemnte do Vectra neste aspecto. O controlo do mesmo é efectuado por um único botão circular colocado um pouco abaixo da caixa de velocidades que em tudo faz lembrar o sistema i-Drive da BMW (que não é necessáriamente um ponto negativo).

Para além disso, a unidade testada tinha uma colecção de extras como EPS Plus (desligável e com assitência de arranque em subidas), espelhos rebatíveis electricamente, AFL plus (inclui iluminação diurna com LED), AC automático bi-zona, sensores de parqueamento e chuva, travão de mão eléctrico, jantes de 18'' (pouco atractivas, aliás, as únicas jantes bonitas na minha opinião são mesmo as de 20'', um extra que custa 900€).

Destaco ainda a qualidade (pelo menos aparete) do automóvel. A nível exterior as juntas das portas com os paineis fixos têm um folga muito reduzida. O fechar das portas é muito abafado (like BMW) e o próprio fecho central praticamente nao se ouve. Todos os pilares são forrados a tecido e até mesmo os plásticos mais rígidos da zona inferior do tablier têm um bom aspecto.

Comportamento e motor

Já em estrada não fiquei muito impressionado. Ao ligar o motor, ouve-se o típico trabalhar de um diesel, embora muito abafado. O painel de instrumentos efectua o "check" como nos modelos OPC ao rodar a chave

Em comparação com o meu OPC, o carro é menos ágil, bem mais pesado mas transmite muita segurança. O volante é um mimo com a pele igual ao do meu Corsa e o punho da caixa de velocidades é tão pequeno que nem parece um carro familiar. A caixa é suave e relativamente rápida nas primeiras 3 relações.

O motor é o 2.0 CDTI de 160cv, igual ao que equipa o Opel Antara com uma gestão electrónica ligeiramente diferente. É silencioso, "rendondo" e muito disponível. O turbo não se nota a entrar mas por outro lado não tem o "fosso" característico dos 1.3 CDTI tornando-o bom para a cidade. Em comparação com os diesel da Opel que já experimentei (1.3, 1.7 e 1.9) este 2.0 tem desenvolvimento de binário até ás 4.000rpm o que o torna um excelente estradista sem um exagerado nível de ruído. As velocidades elevadas atingem-se com alguma rapidez embora de modo diferente do meu OPC. Enquanto que o Corsa é bruto e mete tudo no chão de uma vez só, o Insignia simplesmente "embala" passando-se tudo com grande calma e sem stress.

É o típico comparativo entre Carro do Pai e Carro do Filho! Estou curioso para ver o 1.6 Turbo no Insignia.

Tudo isto é resumido num preço de 38.000€ (com pintura metalizada como único extra ao equipamento de série). É um preço justo quando comparado com um Audi A4 ou VW Passat equivalente. Até porque, a diferença que antes existia entre estas marcas é agora inexistente com o Insignia.

Os meus parabéns à Opel. Já merecia um modelo assim faz bastante tempo.

Deixo aqui algumas fotos que tirei no stand.